Contents

Sacrifício de Sangue: Exemplos Bíblicos e o Que Significa

O que é sacrifício de sangue na Bíblia? Para que serve?

Neste blog, você aprenderá o seguinte:

  • Definição de sacrifício de sangue
  • Quatro casos em que foi realizado no Antigo Testamento
  • Quatro de seus tipos
  • O cumprimento final do sacrifício de sangue
  • Suas três consequências

Vamos lá!!

O que é Sacrifício de Sangue?

Sacrifício de Sangue: Exemplos Bíblicos e o Que Significa
Crédito da foto: Canva

Vamos primeiro definir sacrifício.

O Dicionário Merriam-Webster define sacrifício como um ato de oferenda a uma divindade. Também significa a destruição ou rendição de algo em prol de outra coisa.

Mas, em um aspecto mais teológico, é uma instituição divina que Deus designou como um modo no qual um homem culpado Lhe oferece uma adoração aceitável (M. G. Easton, Illustrated Bible Dictionary and Treasury of Biblical History, Biography, Geography, Doctrine, and Literature).

Mais especificamente, o sacrifício é um ritual de abate de animais e processamento de seus corpos como oferenda a uma força sobrenatural (Bibliografias de Oxford).

Em alguns casos, alimentos, bebidas e até seres humanos foram usados como sacrifício.

Agora, vamos nos concentrar no sacrifício de sangue.

Considerando essas definições, entendemos que o sacrifício de sangue é um sacrifício que envolve derramamento de sangue.

Por que sangue?

Bem, o sangue é um “ingrediente chave para trazer a expiação no sistema bíblico” (Douglas Mangum, The Lexham Bible Dictionary 2016).

“A lei exige que quase tudo seja purificado com sangue, e sem derramamento de sangue não há perdão” (Hebreus 9:22, NVT).

Vindo de animais prescritos por Deus, como ovelhas, cabras e pássaros, que discutiremos mais adiante, esse sangue é oferecido no lugar do pecador para redimi-lo de seus pecados.

Isso faz sentido?

Agora, vamos ver como isso foi praticado na Bíblia.

4 Exemplos de sacrifício de sangue no Antigo Testamento

1) O sacrifício de animais de Abel

Sacrifício de Sangue: Exemplos Bíblicos e o Que Significa
Crédito da foto: freebibleimages.org

Você conhece Abel, um dos filhos de Adão e Eva e irmão de Caim (Gênesis 4:1-2)?

Abel era pastor enquanto Caim era lavrador.

Então, quando Deus pediu que eles Lhe oferecessem sacrifício, o primeiro deu o primogênito de seu rebanho e suas porções de gordura enquanto o segundo ofereceu frutas (versos 3 e 4).

Qual você acha que fez o certo?

Bem, Deus favoreceu Abel por sua oferta, o que irritou Caim (versos 4 e 5).

“Por que você está com raiva e por que seu rosto caiu? Se você proceder bem, não será aceito?” Deus perguntou a ele (versos 6 e 7, NVT).

O que tornou o sacrifício de Abel melhor que o de Caim?

O sacrifício de Abel mostrou que ele era humilde o suficiente para se reconhecer como pecador. E ele acreditava que, por meio do sangue do animal, Deus o redimiria do pecado (Ellen White, Confrontation 23.1).

Por outro lado, o que tornou a oferta de Caim ofensiva a Deus foi sua falta de submissão e obediência à ordenança de Sua designação (23.2).

Falta de submissão e obediência? Sim, porque Deus instruiu cada um deles a oferecer um animal, não frutas e legumes, embora também fossem um sacrifício aceitável.

No entanto, Caim pensou que sua oferta era “mais nobre e não tão humilhante quanto a oferta de sangue de animais, que mostrava dependência de outro, expressando assim sua própria fraqueza e pecaminosidade”, acrescentou Ellen White no livro mencionado acima.

2) O sacrifício de animais de Noé

Sacrifício de Sangue: Exemplos Bíblicos e o Que Significa
Crédito da foto: freebibleimages.org

Você se lembra da história do dilúvio mundial na época de Noé?

Ele e sua família permaneceram na arca e sobreviveram ao dilúvio por 150 dias (Gênesis 7:24). E eles esperaram mais alguns meses para que as águas baixassem completamente.

No segundo mês do ano seguinte, a terra secou completamente (Gênesis 8:14). Só então Deus disse a Noé e sua família para saírem da arca.

Então, Noé construiu um altar, pegando alguns dos animais e pássaros limpos, e sacrificando holocaustos (verso 20).

Deus sentiu seu aroma e disse: “Nunca mais amaldiçoarei a terra por causa dos homens, embora toda inclinação do coração humano seja má desde a infância. E nunca mais destruirei todos os seres viventes como fiz” (verso 21, NVT).

3) Sacrifício de sangue no Egito

Sacrifício de Sangue: Exemplos Bíblicos e o Que Significa
Crédito da foto: freebibleimages.org

Lembra-se das dez pragas que Deus enviou a todo o Egito no tempo de Moisés?

A água se transformou em sangue. Então, vieram rãs, mosquitos, moscas, peste no gado, furúnculos, granizo, gafanhotos e escuridão (Êxodo 7-11).

A última praga foi a morte dos primogênitos de todas as pessoas e animais no Egito.

Mas para que o “anjo destruidor” passasse sobre as casas dos israelitas, Deus pediu a cada família que sacrificasse um cordeiro sem defeito (Êxodo 12:3, 5; Ellen White, Patriarcas e Profetas, 274.1).

Sem defeito? Sim. Visto que o cordeiro servia como substituto dos filhos, deveria ser inocente, sem culpa ou sem pecado.

Voltando, eles tinham que cuidar de suas ofertas até o décimo quarto dia do mês. Naquele dia, eles deveriam abatê-los ao entardecer (verso 6).

Depois disso, eles tinham que pegar um pouco do sangue e aspergi-lo nas laterais e no topo dos batentes das portas de suas casas, onde comeriam os cordeiros (versículo 7).

E é verdade que, quando a praga atingiu os primogênitos dos egípcios, ela passou pelas casas dos israelitas (versos 12 e 13).

Por quê? Porque eles tinham o sangue do sacrifício que Deus ordenou que eles oferecessem e aspergissem nos batentes das portas. O anjo não tocou em seus filhos, pois a oferta foi suficiente para salvá-los.

4) Sacrifício de animais no tabernáculo

Avanço rápido para o tempo em que os israelitas foram libertos do Egito.

Eles cruzaram o Mar Vermelho (Êxodo 14), viajaram muito e permaneceram no deserto.

Lá, Deus instruiu Moisés a dizer aos israelitas que trouxessem uma oferta a Ele (Êxodo 25:1-2).

Então, eles tiveram que construir um tabernáculo com seus móveis de acordo com o padrão que Ele lhes mostraria (versos 8 e 9).

Como era este tabernáculo?

Sacrifício de Sangue: Exemplos Bíblicos e o Que Significa

Imagine uma grande tenda dentro de um espaço aberto ou o que chamavam de quadra. A tenda foi dividida em duas, o Lugar Santo e o Lugar Santíssimo (Êxodo 26:33).

Dentro do Lugar Santíssimo estava a arca da aliança contendo os Dez Mandamentos (verso 34).

Dentro do Santo Lugar estava o seguinte (Êxodo 25 e 30):

  • Mesa dos pães da proposição – simboliza Jesus como o Pão da Vida
  • Candelabro – simbolizava Jesus como a Luz do Mundo
  • Altar de incenso – onde Aaron foi instruído a queimar incenso como uma oferta regular a Deus

Fora da tenda, ainda dentro do pátio, estavam os seguintes (Êxodo 30 e Levítico 1):

  • Lavador – bacia para lavar mãos e pés antes de entrar na tenda de reunião
  • Altar de holocausto – onde alguém que cometeu pecado ofereceria um sacrifício animal

Agora, vamos nos concentrar no sacrifício de animais.

Sacrifício de Sangue: Exemplos Bíblicos e o Que Significa
Crédito da foto: freebibleimages.org

Se fosse um touro, ovelha ou cabra, Deus exigia que fosse “um macho sem defeito” (Levítico 1:3, NVT)

Deveria ser morto e o sangue deveria ser jogado contra as laterais do altar. Em seguida, seria cortado em pedaços, as pernas lavadas com água e totalmente queimadas (verso 5-13).

Se fosse um pássaro, Deus preferia “uma pomba ou um pombinho” (verso 14, NVT).

Depois de retirada a cabeça, deve ser queimado no altar com o sangue escorrido na lateral. O papo e o conteúdo também deveriam ser removidos (versos 15 e 16).

Depois disso, seria rasgado pelas asas, mas não completamente cortado. Por fim, seria queimado (verso 17).

4 tipos de sacrifício de sangue

Nem todos os sacrifícios são sangrentos.

Primícias, dízimos, oferta de carne, oferta de bebida, incenso, entre outros, também são considerados sacrifícios na Bíblia (M. G. Easton, Illustrated Bible Dictionary and Treasury of Biblical History, Biography, Geography, Doctrine, and Literature).

Um exemplo disso é o sacrifício de comida de Caim, que discutimos anteriormente.

Outra é o que Êxodo 34:26 (NVT) diz: “O melhor das primícias da tua terra trarás à casa do Senhor teu Deus. Não cozerás o cabrito no leite de sua mãe.”

Ainda assim, outro exemplo está em Números 28:7 (NVT): “No Lugar Santo, você deve derramar uma libação de bebida forte ao Senhor.”

Mas como este artigo se concentra no sacrifício de sangue, o sacrifício mais comum no sistema levítico, vamos explorar quatro de seus tipos:

1) Holocausto

Sacrifício de Sangue: Exemplos Bíblicos e o Que Significa
Crédito da foto: freebibleimages.org

Como você viu como os israelitas faziam isso no tabernáculo, um animal estava sendo morto, limpo, cortado em pedaços e queimado no altar (Levítico 1).

Esse foi um exemplo de holocausto. Mas o que era basicamente?

Sacrifício queimado ou oferta queimada vem do termo hebraico olah e da raiz alah, que significa “subir” ou “ascender” (Douglas Mangum, The Lexham Bible Dictionary 2016).

Todo o sacrifício ascendeu a Deus do altar, ilustrando a “abordagem e súplica do céu” do indivíduo.

Como essa oferta era voluntária, era um tipo de sacrifício de compromisso, uma expressão da devoção livre e profunda do ofertante a Deus.

Mangum acrescentou que foi “dado com integridade, mas somente quando o coração da pessoa que ofereceu o sacrifício estava correto diante de Deus”. Caso contrário, isso se tornaria “um ato de engano e hipocrisia”.

Resumindo, um holocausto é um sacrifício sendo queimado como uma oferta voluntária a Deus.

2) Oferta de paz

Sacrifício de Sangue: Exemplos Bíblicos e o Que Significa
Crédito da foto: freebibleimages.org

Em Êxodo 20:24 (NVT), Deus instruiu os israelitas a fazer um altar e “sacrificar sobre ele [their] holocaustos e … ofertas pacíficas”.

A partir dessa passagem, podemos ver que a oferta pacífica era diferente do holocausto, o que Ellen White repetiu em “A cruz e sua sombra”, 154.1.

Especificamente, uma oferta de paz foi feita “em sinal de ação de graças, para confirmar um voto ou contrato e como ofertas voluntárias” (154.2).

Por esse motivo, às vezes também era chamado de oferta de agradecimento, oferta votiva ou oferta voluntária (James Hastings et al., Dictionary of the Bible, 1909).

A oferta pacífica era a única em que o povo podia comer a carne. E, ao contrário da Páscoa, não era celebrada uma vez, mas em qualquer época do ano (154.1).

Assim como o holocausto, os animais para as ofertas pacíficas eram escolhidos do rebanho. Eles deveriam ser sem defeito porque “nenhum animal deformado poderia representar adequadamente o Príncipe da Paz” (154.2).

Depois disso, a pessoa que faz o sacrifício deve impor as mãos sobre a cabeça do animal e depois matá-lo (154.4).

Então, ele tinha que separar a gordura dos diferentes órgãos do corpo, e o sacerdote a queimava no altar dos holocaustos.

Agora, concluímos que uma oferta pacífica é um sacrifício voluntário de ação de graças a Deus.

3) Oferta pelo pecado

Sacrifício de Sangue: Exemplos Bíblicos e o Que Significa
Crédito da foto: Canva

Levítico 12: 6 (NVT) menciona: “E quando os dias de sua purificação forem concluídos … ela trará ao sacerdote … um cordeiro de um ano para holocausto e um pombo ou uma rola para oferta pelo pecado.”

Então, fica claro que uma oferta pelo pecado é outro tipo de sacrifício diferente dos dois sacrifícios anteriores que acabamos de discutir.

Servia para quê?

Podemos ler em Levítico 4:27-28 (NVT) que “se algum membro da comunidade pecar sem querer e fizer o que é proibido em qualquer um dos mandamentos do Senhor … eles devem trazer como oferta pelo pecado que cometeram uma cabra sem defeito.”

Nesse sentido, o pecado cometido era conhecido publicamente e o ofertante percebia sua culpa.

Indo mais fundo, uma oferta pelo pecado é projetada para propiciar a Deus, satisfazer Sua justiça e perdoar a ofensa pela qual foi oferecida (Alan Cairns, Dictionary of Theological Terms, 2002)

Simplificando, esta oferta estava sendo feita para expiar os pecados de alguém.

Agora, como era feito?

Realizado no mesmo local onde o holocausto estava sendo abatido, o sacerdote que oferecia o sacrifício pelo pecado deveria comê-lo no pátio do tabernáculo (versículos 25 e 26).

E você acreditaria que qualquer homem da família do sacerdote também poderia comê-lo (versículos 28 e 29)? Sim.

Mas havia uma isenção para isso. Uma oferta pelo pecado cujo sangue foi trazido para fazer expiação no Lugar Santo “não deve ser comida”. Em vez disso, “deve ser queimado” (verso 30, NVT).

Atente para os detalhes. Agora entendemos que uma oferta pelo pecado é um sacrifício oferecido a Deus por uma pessoa que cometeu pecado sem querer, buscando perdão.

4) Oferta de transgressão

Sacrifício de Sangue: Exemplos Bíblicos e o Que Significa
Crédito da foto: Canva

A oferta pela culpa foi mencionada em Levítico 5:6 (NVT), que afirma: “E ele trará sua oferta pela culpa ao Senhor pelo pecado que cometeu.”

Mas espere, esse sacrifício era semelhante à oferta pelo pecado? Pecado é sinônimo de transgressão, certo?

Bem, a oferta pela culpa era em si “uma oferta pelo pecado”, como Ellen White escreveu em “A Cruz e Sua Sombra”, 143.1.

Foi oferecido “especialmente pelos pecados ‘nas coisas sagradas do Senhor’, como quando uma pessoa transgrediu por não seguir as instruções de Deus em relação às coisas sagradas”.

Seja qual for o seu pecado, a pessoa que o cometeu deveria trazer um carneiro como oferta (143.2).

Mas enquanto a oferta pela culpa estava sendo disposta da mesma forma que a oferta pelo pecado comum, ela diferia porque o sangue era aspergido “ao redor sobre o altar” em vez de tocar os chifres com o sangue como na oferta pelo pecado.

Além disso, era mais usado para representar os pecados da pessoa que o oferecia do que do público (143.3).

Por esta razão, a oferta pelo pecado também era conhecida como oferta pela culpa (James Hastings et al., Dictionary of the Bible, 1909).

Agora, vamos falar sobre como funcionam as regras de restituição.

Se o pecado foi contra “as coisas sagradas do Senhor”, a restituição “seria feita ao sacerdote” sendo o representante de Deus (144.1).

Se o pecado fosse contra outra pessoa que já havia morrido, a restituição deveria ser feita a seu parente.

E se não houvesse parente? Então, “a restituição deveria ser feita ao Senhor”.

Tudo bem. Vamos agora concluir que uma oferta pela culpa também é uma oferta pelo pecado, mas difere na maneira como foi realizada.

O Cumprimento do Sacrifício de Sangue Cerimonial

Sacrifício de Sangue: Exemplos Bíblicos e o Que Significa
Crédito da foto: Canva

Tendo aprendido sobre os sacrifícios cerimoniais, não é impressionante saber quanto estava em jogo sempre que uma pessoa pecava nos tempos do Antigo Testamento?

Você consegue se imaginar vivendo naqueles tempos?

É bom que não tenhamos que fazer o mesmo em nosso tempo. Mas e se ainda tivermos que fazer?

Bem, “o Filho de Deus morreu como [our] sacrifício e ascendeu ao céu para se apresentar diante do Pai como [our] Advogado” (Ellen White, Atos dos Apóstolos 393.1).

Pelo arrependimento e pela fé, fomos libertos da condenação do pecado. E pela graça de Cristo, fomos “capacitados doravante para obedecer à lei de Deus”.

Por causa desse grande cumprimento, o serviço sacrificial está terminado. O sacerdócio terreno cessou, mas olhamos para Jesus, o Ministro da nova aliança, e o poder de Seu sangue redentor (Ellen White, Cristo em Seu Santuário 66.1).

Os sacrifícios em si mesmos não tinham valor nem eficácia. Eles eram apenas a “sombra das coisas boas por vir”, apontando-nos para a vinda do grande Sumo Sacerdote (M. G. Easton, Illustrated Bible Dictionary and Treasury of Biblical History, Biography, Geography, Doctrine, and Literature).

Os sacrifícios pertenciam apenas a um curto tempo e a um sistema de emblemas. Mas estes passaram quando o Sacrifício final “aperfeiçoou para sempre os que são santificados”.

Como tal, “Deus não comanda mais a ação simbólica da adoração. Em vez disso, Ele quer que todo o nosso ser seja apresentado a Ele” (Douglas Mangum, The Lexham Bible Dictionary 2016).

Portanto, Jesus foi o cumprimento de todos os sacrifícios cerimoniais. Portanto, não precisamos mais matar e sacrificar animais para confessar nossos pecados, oferecer ações de graças ou fazer um voto a Deus.

O que o sacrifício de Jesus faz por nós?

1) Ele nos justifica.

Sacrifício de Sangue: Exemplos Bíblicos e o Que Significa
Crédito da foto: Canva

Lemos em Romanos 3:24-25 (NVT) que “todos são justificados gratuitamente por sua graça, por meio da redenção que há em Cristo Jesus. Deus apresentou a Cristo como um sacrifício de expiação por meio do derramamento de seu sangue – para ser recebido pela fé .”

Ellen White ecoa isso em “Mensagens Escolhidas 3”, 192.1, no sentido de que, por meio do sacrifício expiatório de Jesus, fomos justificados. E olhamos para Ele como nossa única Esperança e Libertador.

Agora, o que significa ser justificado por Cristo?

Significa que Deus perdoa o castigo que merecemos por causa do pecado. Ele nos aceita, embora seja justo e não tenha pecado. No entanto, Ele nos recebe em Seu favor divino e nos trata como se fôssemos justos.

Também vale a pena mencionar que Jesus “apareceu uma vez por todas, para aniquilar, pelo sacrifício de si mesmo, o pecado” (Hebreus 9:26, NVT).

“Ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo” (1 João 2:2, NVT).

Por causa disso, fomos redimidos do pecado.

Por meio do arrependimento e da fé, Deus perdoa a penalidade prescrita a nós por transgredir a lei (Ellen White, Mensagens Escolhidas 3 191.2).

Recebemos uma segunda chance de viver santos. Portanto, permanecemos justos diante de Deus. E somos levados a favor do céu em comunhão com o Pai e o Filho.

2) Ele nos santifica.

Sacrifício de Sangue: Exemplos Bíblicos e o Que Significa
Crédito da foto: Canva

Como os animais cujo sangue era trazido pelo sumo sacerdote ao santuário e queimado como sacrifício pelo pecado, “assim também Jesus padeceu fora da porta, a fim de santificar o povo pelo seu próprio sangue” (Hebreus 13:12, NVT).

De fato, “fomos santificados pela oferta do corpo de Jesus Cristo uma vez por todas” (Hebreus 10:10, NVT). Como tal, “quanto mais seremos salvos de [His] ira por Ele!” (Romanos 5:9, NVT).

Com isso, ser santificado pelo sangue de Jesus é ser santificado e separado pelo Seu Espírito. Vem depois da justificação.

3) Ele nos reconcilia com Deus.

Sacrifício de Sangue: Exemplos Bíblicos e o Que Significa
Crédito da foto: Canva

Jesus padeceu “o justo pelos injustos, para conduzir-nos a Deus, sendo morto na carne, mas vivificado no Espírito” (1 Pedro 3:18, NVT).

O pecado nos separou de Deus. Isso nos impediu de nos aproximar de Sua presença pessoalmente. Mas o sacrifício de Jesus tornou possível para nós termos comunhão com Ele novamente porque Ele reconciliou o mundo Consigo mesmo (Ellen White, With God at Dawn 53.3).

Que benção saber que o próprio Jesus preparou o caminho para nos reunirmos com Ele!

Embora não mereçamos nos reconciliar com Ele por causa do nosso pecado, Seu sacrifício quebrou as barreiras a nosso favor.

Nós queremos ouvir de você

O que você aprendeu sobre o sacrifício de sangue e seu grande cumprimento em Jesus Cristo?

Adoraríamos ouvir suas ideias abaixo.

Para saber mais sobre este tópico, assine Heroes: The Bible Trivia Game, leia as histórias de Moisés e Jesus em nossa página de heróis, encontre-as em nosso curso de estudo bíblico e baixe nosso jogo no Google Play e na App Store.

Share this Post
GET THE LATEST NEWS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Heroes: Arrow Up