"O Senhor, O Deus dos hebreus, enviou-me para vos dizer: deixai ir o meu povo."
Êxodo 7:16
Ocupação
Príncipe, Libertador
Era
Patriarcas e Profetas
NÍVEL
NÍVEL 21
ESTRATÉGIA
Leia Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio.
Ocupação
Príncipe, Libertador
Era
Patriarcas e Profetas
NÍVEL
NÍVEL 21
ESTRATÉGIA
Leia Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio.
HISTÓRIA
PARTE 1 DE 8

Moisés

Moisés nasceu num momento terrível para o seu povo, Os israelitas. Eles viveram no Egito por centenas de anos, tendo se estabelecido originalmente lá quando seu ancestral, José, havia sido governador do Egito sob o Faraó anterior.

Em total contraste com seu modo de vida privilegiado durante a época de José, os israelitas haviam sido escravizados e sofriam sob o domínio de seus senhores egípcios. Para aumentar esses problemas, o Faraó ordenou o massacre de todos os meninos israelitas, porque estava preocupado com o rápido crescimento da população.

A família de Moisés estava determinada a salvá-lo da morte. Por um tempo, eles simplesmente o esconderam, mas logo ficou claro que precisavam de um plano diferente.

PARTE 2 DE 8

BEBÊ NA CESTA

Joquebede, a mãe de Moisés, elaborou um plano ousado para salvar o seu filho. Ela colocou-o num cesto tecido que podia flutuar. Ela cuidadosamente escondeu a cesta entre os juncos do Rio Nilo e designou Miriam, a irmã mais velha de Moisés, para vigiá-lo secretamente.

Para o horror de Miriam, a filha do Faraó, que tinha vindo tomar banho no Rio, vislumbrou o cesto. A princesa enviou a sua escrava para ir buscar o cesto e descobriu o bebé hebreu. Movida com compaixão, ela decidiu salvar a criança.

Movendo-se rapidamente em ação, Miriam se aproximou e perguntou à princesa se ela gostaria de uma mulher hebraica para cuidar do bebê. Isso foi acordado e então Miriam rapidamente trouxe sua mãe para conhecer a filha do Faraó. Um acordo foi feito permitindo que Joquebede cuidasse de Moisés e ela foi até paga para fazer isso!

PARTE 3 DE 8

CRIAÇÃO HÍBRIDA

E assim foi que a sua própria mãe israelita cuidou de Moisés. Quando ele era mais velho, sua mãe o levou para a filha do Faraó e Moisés tornou-se seu filho adotivo. Foi neste ponto que a filha do Faraó formalmente nomeou o menino Moisés, que significa "eu o tirei da água.”

Graças a esta transição dramática, o filho de um escravo israelita foi criado como príncipe do Egito. Apesar de seu status e estilo de vida luxuoso, no entanto, ficaria claro que Moisés se lembrava de suas raízes e simpatizava com seus companheiros israelitas escravizados.

PARTE 4 DE 8

ASSASSINATO E FUGA

Passaram-se vários anos e Moisés era agora um homem adulto. Um dia, testemunhou um egípcio a bater impiedosamente num escravo hebreu. Enfurecido com essa injustiça e crueldade, Moisés resolveu o problema com as próprias mãos. Quando ele pensou que ninguém estava olhando, ele matou o egípcio e enterrou o corpo da vítima na areia para esconder as evidências.

No dia seguinte, Moisés estava fora de casa novamente quando viu dois escravos hebreus lutando um contra o outro. Quando ele tentou interromper a luta, um deles se virou para Moisés e perguntou se ele planejava matá-lo como fez com o egípcio. Moisés percebeu imediatamente que as notícias de suas ações precipitadas no dia anterior haviam se espalhado e ele temeu por sua vida.

Não demorou muito para que o Faraó se vingasse de Moisés pelo assassinato do egípcio. Moisés fugiu para o deserto para viver como um fugitivo da justiça.

PARTE 5 DE 8

ARBUSTO EM CHAMAS

A vida no deserto era totalmente diferente da existência mimada de Moisés durante toda a sua vida como membro da família real egípcia. Ele finalmente chegou à terra de Midiã, onde descansou perto de um poço.

Depois de um tempo, sete filhas de um príncipe e sacerdote de Midiã foram ao poço tirar água para os rebanhos de seu pai. Tudo estava bem até que alguns pastores locais apareceram e expulsaram as mulheres.

Moisés salvou o dia intervindo, afugentando os pastores e dando água aos rebanhos para as mulheres. Quando a notícia de seu heroísmo chegou ao pai, ele convidou Moisés para uma refeição e o recompensou com uma de suas filhas, Zípora, em casamento.

Moisés se reinventou como pastor e com Zípora criou uma família e viveu feliz por muitos anos. Um dia, enquanto cuidava de suas ovelhas, ele notou uma misteriosa sarça ardente. Deus falou por meio da sarça e ordenou a Moisés que desistisse de sua vida tranquila no deserto, voltasse ao Egito e libertasse os israelitas da escravidão.

PARTE 6 DE 8

RETORNO AO EGITO

Moisés estava muito relutante em assumir esta nova missão. Ele estava com medo e também preocupado com sua capacidade de falar com o Faraó. Deus disse que Moisés podia levar o irmão Arão para falar. Então Moisés voltou para o Egito com sua esposa e filhos.

Arão se juntou a eles no caminho e os dois se encontraram com os anciãos dos israelitas no Egito, ganhando o seu apoio. Mas os irmãos tiveram menos sorte quando se aproximaram de Faraó, declarando que Deus queria que os israelitas fossem libertados. Faraó recusou-se de imediato, dizendo que não conhecia nem obedeceria ao seu Deus, nem deixaria o povo ir.

Em retaliação a esse pedido ousado, o Faraó instruiu seus condutores de escravos a pararem de fornecer palha aos israelitas para a produção de tijolos. Eles foram forçados a coletar a palha para si mesmos, mantendo a cota de produção de tijolos a mesma de antes. Incapazes de acompanhar essa carga de trabalho, os israelitas se voltaram contra Moisés e Arão, culpando-os pelo fardo adicional.

PARTE 7 DE 8

PRAGAS E ÊXODO

Moisés e Arão não desistiram. Eles se aproximaram do Faraó novamente, desta vez com um sinal milagroso: Moisés jogou seu cajado no chão e ele se transformou em uma cobra. Os mágicos do Faraó realizaram com sucesso a mesma façanha; entretanto, a cobra de Moisés comeu todas as outras cobras. Apesar disso, o Faraó ainda se recusou a permitir que esse incidente mudasse de ideia.

Uma sucessão devastadora de pragas se seguiu quando Moisés implorou ao Faraó para deixar o seu povo sair do Egito. O rio Nilo se transformou em sangue; enxames de rãs, mosquitos e moscas desceram sobre a terra; o gado do egípcio morreu; os egípcios foram atingidos por furúnculos e atingidos por pedras de granizo; um enxame de gafanhotos dizimou as plantações e a terra foi envolta em trevas. O Faraó se recusou obstinadamente a dar o sinal verde final até a última praga, a morte do filho primogênito de cada família que não pintasse o sangue sacrificial de um cordeiro no batente da porta de sua casa.

O Faraó finalmente cedeu depois da morte do seu primogénito. Ele exortou Moisés e seu povo a sair e os egípcios encheram os israelitas de presentes para a viagem enquanto eles partiam.

Pouco depois da partida dos israelitas do Egito, Faraó mudou de ideia. Ele reuniu suas forças para recapturar os israelitas enquanto eles estavam acampados perto do Mar Vermelho. Moisés levantou a vara ao mar e Deus separou a água, permitindo que os israelitas atravessassem. Quando as forças egípcias os perseguiram, eles foram destruídos quando as paredes de água caíram sobre eles, afogando os soldados egípcios em massa. Os israelitas tinham sido verdadeiramente libertados.

PARTE 8 DE 8

LIDERANÇA NO DESERTO

Moisés enfrentou vários testes de sua liderança no deserto. Os israelitas eram um bando indisciplinado e ingrato. Eles resmungaram muito, apesar de Deus demonstrar repetidamente que ele iria cuidar de suas necessidades.

Os israelitas precisavam de instruções claras e eficazes. Após uma vitória militar sobre os amalequitas, eles acamparam na base do Monte Sinai, onde Deus deu a Moisés Os Dez mandamentos, escritos por Seu próprio dedo em duas tábuas de pedra.

Enquanto Moisés estava fora no Monte, os israelitas fizeram uma estátua de um bezerro de ouro para adorar. Quando ele voltou ao acampamento e viu o comportamento idólatra dos israelitas, Moisés ficou furioso e jogou no chão as tábuas de pedra com os Dez Mandamentos.

Moisés subiu a montanha mais uma vez para implorar a Deus que perdoasse os israelitas. Sob as instruções de Deus, Moisés teve que fazer uma substituição das tábuas dos Dez Mandamentos. Moisés permaneceu na montanha jejuando, orando e conversando com Deus por quarenta dias. Quando Moisés finalmente voltou para baixo da montanha, o povo ficou aterrorizado porque seu rosto brilhou com a luz da glória de Deus.

Moisés foi um grande líder que morreu enquanto levava o seu povo para a terra prometida de Canaã. Ainda hoje, os judeus creditam este herói bíblico com o título de Legislador de Israel.

Para saber mais sobre o herói Moisés, leia os livros Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio na Bíblia.