"Vai, ajunta a todos os judeus que se acharem em Susã, e jejuai por mim, e não comais, nem bebais por três dias, nem de noite nem de dia; eu e as minhas servas também jejuaremos. Depois, irei ter com o rei, ainda que é contra a lei; se perecer, pereci."
Ester 4:16
Ocupação
Rainha virtuosa
Era
Profetas e Reis
NÍVEL
NÍVEL 56
ESTRATÉGIA
Saiba mais sobre ela lendo o livro de Ester.
Ocupação
Rainha virtuosa
Era
Profetas e Reis
NÍVEL
NÍVEL 56
ESTRATÉGIA
Saiba mais sobre ela lendo o livro de Ester.
HISTÓRIA
PARTE 1 DE 8

MENINA ÓRFÃ

Ester, nome original "Hadassa" que significa "murta" em hebraico, era um membro da grande comunidade judaica forçada a se mudar para a Pérsia, mas decidiu não voltar para Judá com Esdras. Durante o tempo de Ester, a terra de Judá foi considerada como um lugar selvagem e atrasado. Ester, em persa, significa "estrela".”

Órfã ainda jovem, ela foi criada por seu primo mais velho, Mordecai, um oficial real que se sentava junto ao portão do rei. Mordecai foi capaz de fornecer uma boa casa e educação para Ester em Susan, a capital da Pérsia. Mais importante, Mordecai era bom, gentil e leal, e ensinou Ester a desenvolver as mesmas qualidades.

Quando Ester era mais velha, ela foi selecionada para participar de uma espécie de concurso de beleza, algo como "Miss Universo, também conhecida como Miss Império Persa”.

PARTE 2 DE 8

O CONCURSO DE BELEZA

O rei Assuero (comumente conhecido como Xerxes I) estava procurando uma nova esposa. Vasti, sua primeira esposa, desobedeceu-lhe quando ela recusou sua ordem de bêbado para aparecer diante de outros homens bêbados em uma de suas muitas festas.

Embora pareça que este concurso de beleza possa ter sido divertido, teve altos riscos. É verdade que a vencedora se tornou rainha, mas as perdedoras não podiam voltar para casa ou se casar com outra pessoa. As outras “concorrentes” permaneceram no palácio e tornaram-se concubinas. Elas raramente, ou nunca, viam o rei, mas viviam mais como viúvas perpétuas.

Durante o concurso, Ester provou que sabia fazer amigos e influenciar as pessoas. Quando Ester foi pela primeira vez à residência real onde os outros “concorrentes” do concurso de beleza estavam hospedados, ela agradou a Hegai, o eunuco do rei que estava encarregado do harém.

PARTE 3 DE 8

ESCOLHIDA

Hegai deu à Ester os melhores quartos, a melhor comida, as melhores empregadas ... Ele até lhe deu mais do que era permitido para os preparativos de beleza.

Quando era a vez de Ester ser apresentada ao rei Assuero, ela sabiamente pediu a Hegai para ajudá-la. Quem mais sabia mais sobre os gostos do rei do que ele? Hegai sabia o que Ester deveria fazer e o que ela deveria vestir. Valeu a pena. O rei Assuero a escolheu!

Cinco anos após a coroação de Ester, Hamã foi promovido a conselheiro-chefe do rei Assuero. Isso era uma má notícia para todos. Em primeiro lugar, Hamã era um homem muito orgulhoso e também inseguro. Em segundo lugar, Mordecai e ele não se davam bem. Mordecai recusou-se a fazer uma reverência a Hamã quando ele chegou ao portão e isso enfureceu Hamã.

PARTE 4 DE 8

PORTADOR DE MÁS NOTÍCIAS

Hamã ficou tão zangado com Mordecai que decidiu descontar sua raiva em todos os judeus. Como conselheiro-chefe do rei Assuero, ele conseguiu persuadi-lo a assinar um decreto que basicamente garantia o genocídio de todos os judeus.

Ester não percebeu que um decreto de morte havia saído contra seu povo (a vida no palácio era bem protegida do mundo exterior) até que um dia ela viu Mordecai sentado em um saco e cinzas. Sem entender por que Mordecai estava dando um espetáculo, ela lhe mandou roupas novas. Mordecai enviou uma mensagem de volta a Ester dizendo que Hamã havia redigido um decreto dando permissão para que todos os judeus fossem mortos em uma determinada data. Mordecai pediu a Ester que intercedesse pelos judeus, mas, até agora, ninguém no palácio sabia que ela era judia.

PARTE 5 DE 8

MORTE NAS MÃOS

Ester resistiu aos apelos de Mordecai a princípio porque não achava que cabia a ela interceder. Ela podia ser a rainha, mas o rei não veio até ela para pedir conselhos. Na verdade, naquele momento, o rei Assuero não pedia para vê-la há um mês! Além disso, as regras do palácio ditavam que se alguém entrasse para ver o rei sem ser convidado, poderia ser condenado à morte - a menos que ele estendesse seu cetro de ouro.

Mordecai então lembrou a Ester de seu dever para com seu povo: Quem diria se ela tinha vindo para o reino em uma época como esta? Além disso, só porque a Ester era rainha não significava que ela seria poupada.

Isso deu outra visão para Ester e ela se preparou para a batalha judicial. Aparecer perante o rei Assuero não era uma coisa pequena. Dizer que o rei pode ser precipitado e imprevisível é dizer o mínimo. A Ester podia ter perdido a vida só por ter a audácia de o visitar sem ser convidada.

PARTE 6 DE 8

RISCO REAL

Os soldados que vão para a batalha sabem que têm de usar todas as ferramentas à sua disposição! A Ester certificou-se de que estava no seu melhor. Ela usava suas roupas mais bonitas, mas, o mais importante: ela jejuou e orou e todos os judeus jejuaram e oraram também. Era hora de ela defender aquilo em que acreditava e, se ela morresse, morreria!

Ela fez uma oração. Ela respirou fundo. E depois entrou na sala do trono.

Milagrosamente, o rei Assuero ergueu seu cetro! Ele até parecia satisfeito em vê-la!

Ester mostrou diplomacia e estratégia consumadas em seus pedidos ao rei Assuero. Em vez de apenas deixar escapar que Hamã estava tentando matar todos os judeus, incluindo ela mesma, ela agiu com calma. Falar de tal assunto abertamente na sala do trono poderia ter dado a Hamã e seus companheiros uma vantagem---eles poderiam ter se juntado para desacreditá-la e virar o rei contra ela.

PARTE 7 DE 8

HORA DA FESTA

Ester sabiamente convidou o rei Assuero e Hamã para um banquete em suas salas do Palácio naquela noite, garantindo privacidade e uma pequena audiência. Além disso, era no seu território onde ela se sentia mais à vontade e no controle.

O primeiro banquete deu a Ester tempo para amolecer o rei e Hamã, a fim de ganhar sua confiança. O rei Assuero percebeu mais uma vez por que havia escolhido Ester para ser sua rainha e o quanto a amava. Depois de ter sido suntuosamente entretido, o rei agora era obrigado pela tradição a conceder-lhe algo melhor em troca. Mas Ester decidiu que ainda não era hora de mostrar todas as cartas. Ela os convidou para outro banquete luxuoso no dia seguinte e deixou o resultado para Deus.

Durante a segunda festa, Ester decidiu agir com a ajuda de Deus. Deus deu a ela as palavras de que ela precisava para implorar por sua vida e a de seu povo. Ester acusou Hamã de arquitetar a conspiração e o rei saiu furioso. Hamã percebeu que sua própria vida estava em perigo. Ele perdeu o juízo e caiu no sofá de Ester, implorando que ela pedisse ao rei que poupasse sua vida.

PARTE 8 DE 8

FINAL FELIZ

Naquele momento, o rei Assuero voltou do jardim e testemunhou o comportamento de Hamã. Ele pensou que Hamã estava tentando molestar Ester e imediatamente ordenou que ele fosse empalado na estaca que Hamã havia construído para Mordecai. O tempo de Deus foi perfeito.

Mordecai foi promovido para substituir a posição de Hamã como conselheiro-chefe. Mais importante, Ester e Mordecai redigiram um novo decreto que não apenas salvou os judeus, mas também lhes deu permissão para punir todos os seus inimigos. No décimo terceiro dia de Adar, o mesmo dia em que Hamã declarou que os judeus deveriam ser aniquilados, os judeus derrotaram seus inimigos.

A mão de Deus esteve guiando a vida desta heroína, Ester. Quem sabia que ela seria escolhida como princesa para uma época como aquela? Deus, Deus já sabia.

Saiba mais sobre Ester lendo o livro de Ester na Bíblia.